É comum ouvir as pessoas falarem que não têm uma boa memória ou que a memória está fraca, tem até aqueles que fazem uso de medicação para ver se sua memória melhora. Na verdade, não existe boa ou má memória e sim memória que é exercitada  , estimulada e memória "sedentária".
 
O nosso cérebro  é um potente computador que contém inúmeras células capazes de armazenar uma quantidade quase infinita de dados. Nossa memória é como um músculo, necessita ser exercitada, treinada de forma sistemática, seguindo algumas rotinas para que se obtenha o resultado desejado.
 
A memória quando exercitada se torna mais ágil e eficaz e a utilização de associações reforça a memorização. Quanto mais forte e rica for a rede de associações que você criar para guardar a informação, melhor será o resultado ao memorizar o conteúdo desejado. O nosso cérebro entra em contato com o mundo exterior através dos cinco sentidos: visão, audição, tato, olfato e paladar. Os dois primeiros são os mais utilizados, contudo ao utilizar um ou mais dos outros três é possível fortalecer mais a associação, bem como há um maior envolvimento do cérebro na atividade desenvolvida de modo a eliminar os fatores que influenciam na dispersão.
 
Exemplo:
Você precisa memorizar uma lista de alimentos para comprar no supermecado que consiste de: café, açúcar, mamão e manteiga. 
Imagine você sentado (a) na mesa tomando um delicioso café da manhã, sinta o cheiro do café, porém com sabor amargo porque faltou o açúcar, aí você resolveu comer primeiro o mamão que estava muito maduro e mole, e então passou manteiga no mesmo antes de comer e a faca caiu no chão, ouça o barulho da faca batendo no chão. Que tal a sensação de comer mamão com manteiga?
Pesquisadores afirmam que a capacidade do indivíduo para lembrar alguma coisa depende em grande parte do contexto emocional.
 
ESTE EXEMPLO ENVOLVE OS CINCO SENTIDOS E TAMBÉM A EMOÇÃO, NÃO É NECESSÁRIO ENVOLVER TODOS, PORÉM QUANTO MAIS, MELHOR. 
 
O indivíduo aprende atenciosamente qualquer experiência sensorial que cause tanto prazer quanto dor. Isto porque o hipocampo fornece o comando que leva a transformação da memória de curto prazo para a memória de longo prazo
 
Quanto mais estimular a memória de curta duração mais mudanças químicas, físicas e anatômicas ocorrerão nas sinapses cerebrais que serão responsáveis pela memória de longa duração.
 
Isto explica porque uma pessoa é capaz de lembrar melhor pequenas quantidades de informações bem estudada do que grandes quantidades estudadas superficialmente, assim como, aquela que estiver bem acordada consolida melhor as informações do que uma pessoa em fadiga mental.
 
Ligação mnemônica:
 
Faça ligação das palavras que deseja memorizar com objetos de sua casa ou crie uma história ou frase para as mesmas, essa ligação torna-se mais forte quando ela produz emoção, ou seja é ridícula, sem coerência ou simplesmente engraçada.
Exemplo:
Palavras para memorizar - Mamão, café, lápis, caneta, livro
 
Ligação:
1. Desenhei um mamão com lápis no livro e usei a caneta para contornar de café.
2. Pegue as primeiras letras de cada palavra e associe a números ou outras palavras:
MCLCL:  Maria casou, lá cama livre
MCLCL: 12345  
MCLCL : Café (C) Lápis (l ) Caneta ( C) Livro (L )
3. Criar músicas com as palavras que deseja memorizar.
 
Números:
Os números podem ser memorizados da mesma forma, basta associá-los a letras, palavras ou figuras.
Exemplo:
número a memorizar: 48227
4= cadeira
8=duas bolas
2= pato
7=machado
É importante visualizar a imagem das palavras escolhidas e para fortalecer crie uma frase sem sentido e dê movimento à cena:
 
Ex: Uma cadeira chutou duas bolas que bateram na cabeça de dois patos como um machado. 
 
Textos:
1. Para memorizar um texto faça uma leitura rápida do trecho a ser compreendido e memorizado.
2. Releia o texto com parágrafos subdivididos e destaque uma ou mais palavras significativas em cada parágrafo.
Faça associação mnemônica com as palavras destacadas ou simplesmente enumere cada parágrafo e faça a associação com os números.
3. Você pode também colar pequenos adesivos, o mais sem lógica possível, ridículo ou engraçado, ao lado do trecho que deseja memorizar.
4. Reescreva o texto da forma como você conseguiu compreender e memorizar.
 
Fisionomia e nome das pessoas:
1. Espere a pessoa se apresentar.
2. Repita mentalmente o nome dela.
3. Associe o nome a algum detalhe da sua fisionomia.
Ex: óculos, cor do cabelo, sinal, bigode ou sua profissão.
4. Para fortalecer a associação você pode fechar os olhos rapidamente e concentrar-se na voz da pessoa, no seu aperto de mão ou abraço, cheiro , textura da roupa que está usando ou associar ao local que a conheceu.
 
LEMBRE-SE:
AO UTILIZAR OS CANAIS SENSORIAIS (AUDITIVO, OLFATIVO, VISUAL E CINESTÉSICO) A MEMORIZAÇÃO É MAIS EFICAZ. PROCURE COMEÇAR PELO SEU CANAL MAIS DESENVOLVIDO.
CRIAR MÚSICAS OU HISTÓRIAS ABSURDAS É EXCELENTE.
COMPREENDER E ASSOCIAR A SITUAÇÕES VIVIDAS É MELHOR AINDA.
É IMPORTANTE SEMPRE RECORDAR O CONTEÚDO PARA QUE O MESMO FIQUE ARMAZENADO NA MEMÓRIA DE MÉDIA E LONGA DURAÇÃO.
NOSSA MENTE ARMAZENA MAIS FACILMENTE IMAGENS DO QUE PALAVRAS E NÚMEROS, LOGO TRANSFORME EM IMAGEM TUDO QUE FOR POSSÍVEL E VISUALIZE A MESMA SEMPRE QUE PUDER.
 
Pense na possibilidade de realizar um curso de Leitura Dinâmica e Memorização, quando tiver oportunidade em sua cidade. 
 
 
 

Referências:

 

  • Tratado de Fisiologia Médica - 11ᵃ Edição capítulo 59 - Guyton & Hall

  • O Segredo dos Gênios - Manual de Orientação para Professores e Estudantes - Renato Alves

  • Mega Memória - Suma Econômica - Alexis Cavicchini

  • Lucla Assessoria S/C LTDA - Leitura Dinâmica e Memorização

Todos os direitos reservados

© Copyright 2014 Mega Inteligência